Como Ajudar os Jovens que participam do Jogo Baleia Azul

  

Pais e familiares devem acompanhar as atitudes e comportamentos dos jovens de perto.

Uma notícia tem deixado a comunidade brasileira em alerta nas últimas semanas. Trata-se do jogo nomeado de “Baleia Azul”, no qual crianças e adolescente têm sido desafiados com cinquenta questões diferentes, com ações que envolvem desde mutilações do próprio corpo, culminando todas essas na última etapa, que sugere o suicídio do participante.

Até o momento, foram identificados pelo menos dois casos que tiveram um desfecho trágico. Esses estão sob a investigação de policiais locais na Paraíba e no Mato Grosso. Ainda, há uma suposta tentativa de suicídio relacionada ao jogo no Estado do Rio de Janeiro.

Portanto, para os pais e familiares de crianças e adolescentes, todo o cuidado é pouco. Por isso, sugerimos alguns acompanhamentos de perto para evitar que tal “brincadeira” chegue até os seus conhecidos ou aconteça dentro de sua casa. Vamos a eles:

· Diálogo

O diálogo é muito importante em um lar e, por isso, deixe um espaço aberto para que o jovem procure você e conte o que está acontecendo. Oferecer ajuda faz toda a diferença. Não julgue e, muito menos, se revolte contra a pessoa. Não tenha medo de perguntar, falar e mostrar que você se importa, desde que se respeite o seu espaço individual.

· Fique ligado aos sinais de alerta

Normalmente, as crianças e os adolescentes dão vários sinais relacionados ao comportamento quando algo está acontecendo. Entre eles, pode-se citar: irritabilidade, isolamento, rendimento escolar abaixo do apresentado até então, mudança de apetite, uso de drogas, uso de álcool, e outros.

· Busque ajuda se necessário

A ajuda de psicólogos e psiquiatras se faz necessário em alguns casos, uma vez que eles terão uma opinião mais preparada e poderão ajudar e aconselhar melhor os jovens.

· Informe a escola




Informar à escola que algo pode estar acontecendo é uma excelente dica de conscientização coletiva. Sendo assim, a instituição poderá se preparar e ajudar a identificar quais as situações de risco que são apresentadas aos alunos.

Ressaltamos, também, que não existe regra clara que fará o jovem participar ou não desse jogo. Sendo assim, ele não escolhe classe, cor ou preferência sexual.

E, apesar de serem apenas algumas dicas, é fundamental que seja colocado no patamar mais alto a necessidade de cuidar e de preservar a vida. O carinho e cuidado, nesse momento, são essenciais para que mais casos não aconteçam.

No site www.meunovocelular.com.br/2017/04/19/baleia-azul-perigos-do-jogo-e-alerta-aos-pais é possível conferir os perigos do jogo e o alerta aos pais e responsáveis. No link www.meunovocelular.com.br/2017/04/19/baleia-azul-como-evitar-que-jovens-iniciem-o-jogo pode-se conferir como evitar que os jovens iniciem o jogo. E no site www.meunovocelular.com.br/2017/04/19/como-identificar-os-sinais-de-jovens-que-estao-no-jogo-da-baleia-azul pode-se encontrar dicas de como identificar os sinais de alerta de jovens que estão no jogo.

Por Kellen Kunz

Baleia Azul






Postar Comentário