Xiaomi Mi Mix 2 – Características, Especificações



Modelo tem o design de tela infinita, com pouquíssimas bordas, e um desempenho de alta qualidade.

O Conceito de “tela infinita” em smartphones parece que está se tornando tendência. Uma das pioneiras neste sentido, a Xiaomi apresentou ao mundo a sua segunda versão do aparelho que se tornou referência de desempenho e de tela infinita. O Mi Mix 2 é mais uma tentativa de trazer um aparelho elegante, com a tendência que deve se tornar padrão da indústria em pouco tempo.

O Design é o que mais chama a atenção ao segurar um Mi Mix 2. A tela infinita, com pouquíssimas bordas da primeira geração, se manteve por aqui, e de uma forma mais refinada. A tela infinita ficou mais infinita e a sensação é que não se tem mais aquela visão de um smartphone em versão beta. Tudo mudou, e para melhor. Neste aparelho, ainda não se vê uma câmera dupla, mas um material em ouro destaca a lente de 12 MP.



Desempenho

Começando pelo desempenho, o conjunto aqui é respeitável: um Snapdragon 835 topo de linha, com oito núcleos, sendo quatro rodando a 2.45 GHz e outros quatro núcleos rodando a 1.9 GHz aliado a 6 GB de RAM. Todos os aplicativos rodam neste smartphone, e o multitarefa é suave e o usuário não precisa se preocupar em recarregar os aplicativos que estavam em segundo plano e precisam ser reabertos. Tudo roda de forma rápida, suave e sem travamentos. Para completar, a placa gráfica presente é a Adreno 540, rodando todos os jogos em sua qualidade máxima, sem engasgos e quedas de frames. Desde os mais simples até os mais potentes.

O armazenamento interno é de 128 ou 256 GB, porém sem a possibilidade de expansão através de cartões MicroSD, o que deve afetar aqueles que tem muitos arquivos através desta expansão.

Câmera

O conjunto de câmeras não decepcionada. Na parte traseira, o sensor é de 12 MP com estabilização ótica, com autofoco, foco por toque, flash dual led, possibilidades de fotos em HDR e outros modos de fotografia. Há a possibilidade de se filmar em 4K com autofoco e estabilização. Mesmo sendo um topo de linha, a câmera frontal parece ter sofrido com a dimensão da tela: a câmera se localiza na parte de baixo e tem apenas 5MP, ficando atrás até de intermediários que já oferecem o dobro de resolução na câmera frontal. Porém, os modos de detecção facial, sorriso e outros modos para selfies estão ali, disponíveis para ser utilizados.



Além da resolução mais baixa na câmera frontal, neste aparelho, ficou faltando também um sensor de flash, que está presente apenas na câmera traseira. Smartphones que custam bem menos, e que apresentam configurações modestas, já trazem esse recurso. Como o Mi Max 2 tem pouca borda, pode ser esta a explicação de não haver o Flash na parte frontal.

Tela infinita e design

O que mais chama a atenção é o design. Com uma estrutura tem uma construção belíssima, com foco na tela infinita. O conceito hoje se torna realidade, sendo a linha Mi Max uma das responsáveis por isto. O aproveitamento de tela, com poucas bordas, traz uma nova experiência, com possibilidade de uma resolução e tamanho maiores, sem aumentar consideravelmente o smartphone. A tela, de 5,99 polegadas, tem um aproveitamento de 80,8 por cento na parte frontal, não havendo necessidade de ser um aparelho grande, que fica deselegante no bolso, ou que não possa ser usado por uma mão.

A tecnologia é IPS LCD, trazendo um bom contraste com bons ângulos de visão. A Xiaomi optou por não incluir um painel AMOLED ou Super AMOLED, porém a tecnologia IPS, utilizada no iPhone 7 e iPhone 8, por exemplo, não deve incomodar a grande maioria dos utilizadores.

O Android presente é o 7.1, recebendo a famosa modificação da Xiaomi. Como não está disponível no mercado nacional, quem se interessar, deve optar pela importação, com preços a partir de 2 mil reais. Lembrando que, como é importado, o comprador poderá pagar taxas alfandegárias.

Por Leandrinho de Souza

Xiaomi Mi Mix 2





Postar Comentário