5G no Brasil – Previsão de Início





Nova tecnologia deve chegar no país somente no ano de 2023.

O mundo anda rápido e a tecnologia está nesta mesma sintonia: em pouco tempo veremos o 5G. Mas não será no Brasil. Este foi o tom da conversa proferida pelo diretor da GSMA no país, Amadeu Castro. Segundo ele, a implantação comercial da tecnologia no Brasil será vista apenas no ano de 2023.

Para Castro o ponto mais importante para isto é a demora na realização do leilão das franquias e faixas de acesso que estão previstas para acontecer em algum momento no início do próximo ano. Para ele, alguns meses devem se passar até o fechamento do leilão e a real implementação pelas operadoras.




Rede 4G

No Brasil, os acessos ao 4G crescem a cada dia. A rede de quarta geração ainda tem um bom gás para queimar. Isto porque muitos locais não conhecem este tipo de conexão.

Segundo dados da Teleco, empresa de consultoria na área de telecomunicações, até janeiro de 2019 um número de 4.450 municípios contavam com alguma empresa oferecendo conexão em alta velocidade na rede móvel: em porcentagem são 95,5 por cento da população brasileira.


Apesar dos bons números, diversas cidades do interior ainda sofrem com a falta desta tecnologia. Norte e nordeste aos poucos vão recebendo a atenção devida, ficando muitas vezes na boa e velha conexão 3G ou ainda na arcaica, mas ainda importante rede 2G.

5G como solução

O 5G é visto com outros olhos pelas operadoras. A alta velocidade e baixa latência pode ajudar as empresas de telecomunicações a implementar a nova rede móvel como uma internet banda larga fixa na própria casa do consumidor, aproveitando a frequência e a cobertura.

Isto seria extremamente importante em locais como zonas rurais ou cidades menores que ainda não possuem boas conexões de internet: consumidores destas localidades ainda se mantém refém de conexões via cobre com baixa velocidade ou conexões via rádio que sofrem oscilação dependendo da condição climática.

Leilão confirmado para 2020

Bem como afirmou Amadeu durante a MWC em Barcelona, a Anatel – Agência Nacional de Telecomunicações – os primeiros leilões para a franquia serão realizados no primeiro trimestre, segundo anúncio do presidente da agência reguladora, Leonardo Euler de Morais.

Aviso das operadoras

A declaração de Amadeu parece não ter surpreendido quem se inteirava do assunto. No ano passado, as grandes operadoras: Oi, Tim, Claro e Vivo, afirmaram que a tecnologia irá demorar a estar à disposição dos Brasileiros.

Naquela oportunidade, elas já haviam alertado o mercado e aos consumidores: 5G por aqui apenas após o ano de 2021. Muitas delas pretendem ir com calma na oferta e outras vão analisar o mercado internacional antes de ir para uma corrida armamentista na disponibilidade.

Ainda em 2018 o grupo Claro havia solicitado a ANATEL que o assunto 5G não fosse de importância da agência reguladora. No comunicado, a empresa solicitou que a quinta tecnologia móvel fique apenas para o ano de 2021, usando o argumento da maturidade dos equipamentos e da indústria para o 5G. A empresa não foi respondida.

Conexão 5G

A quinta geração na conexão móvel deve estar disponível nos países desenvolvidos em pouco tempo. Os primeiros celulares com a tecnologia estão chegando e os países realizando testes intensos.

A grande diferença em relação à conexão 4G é a velocidade e a latência. Se bem implementado, a nova tecnologia pode proporcionar velocidades acima de 20 Gb/S . No ano de 2015, pesquisadores do Reino Unido conseguiram, com sucesso, atingir conexões com velocidades de 1 Terabit por segundo.

Outro ponto bastante positivo é que o 5G beneficiará os equipamentos eletrônicos, lhe proporcionando uma troca de informações intensa. Com o aumento de dispositivos conectados à internet e o avanço da tecnologia, equipamentos médicos ou residenciais podem ser os maiores beneficiados.

Por Leandrinho de Souza





Postar Comentário