Redmi Note 7 Pro 2019 – Ficha Técnica e Novidades





Novo smartphone chega equipado com câmera Sony de 48 MP.

A Xiaomi aproveitou o mês de fevereiro para apresentar uma série de aparelhos com características surpreendentes. Um deles é o Redmi Note 7 Pro. O mais novo integrante da reconhecida linha de aparelhos da chinesa traz como sensor na sua câmera, o Sony IMX586, trazendo incríveis 48 MP.

Este sensor foi apresentado originalmente em dezembro do ano passado. Após longo tempo de desenvolvimento, a Sony apresentou ao mundo o sensor que futuramente iria integrar uma série de produtos, dentre eles o Note 7 Pro.




A promessa de acordo com a fabricante da câmera é a fidelidade de imagem, mesmo com o número alto de megapixels. No evento de lançamento ano passado, a japonesa aproveitou para comparar uma câmera com 12 MP e a IMX586 com 48MP e ficou visível o maior nível de detalhes. A inscrição no barco ficou distorcida na lente com 12 MP, porém, ficou nítido na lente da Sony.

Filmagens em 4K

O sensor tem a capacidade de realizar a filmagem na resolução 4K. Com isto, o Redmi Note 7 Pro terá a capacidade de realizar gravações nesta resolução em até 90 FPS, superando a marca do iPhone que realizava a filmagem nesta resolução, porém, com 60 FPS.


Melhorias na foto em ambientes escuros

Para as fotos em ambientes com baixa iluminação, como um lugar a noite, por exemplo, uma tática parece fazer sentido: o sensor IMX586 juntará quatro pixels em um só, possibilitando uma qualidade acima da média se compararmos as outras câmeras em um mesmo ambiente.

Configurações do Remi Note 7 Pro

O Redmi Note 7 Pro tem como destaque a lente produzida pela Sony, de 48 MP. Porém, este não é o único ponto positivo: a sua bateria generosa de 4.000 mAH também merece reconhecimento: ela suporta carregamento rápido, possuindo uma boa autonomia de energia longe da tomada.

Para este modelo, uma tela de 6,3 polegadas com resolução FULL HD possui um bom conjunto de calibração com cores bastante fiéis. Por conta da tela esticada, a resolução recebeu um pequeno upgrade para evitar que os pixels estejam a olho nu. O painel que ocupa grande parte da frente do Redmi recebeu uma curvatura com proteção Gorilla Glass 2,5D contra riscos e arranhões.

Este modelo é um intermediário com câmera potente: por isto aqui é encontrado um Snapdragon 675 com oito núcleos. A promessa é um bom gerenciamento de energia aliado a um desempenho satisfatório: a previsão é de que este celular rode todos os apps da Google Play por um bom tempo. O ponto benéfico citado acima é o suporte deste processador para o carregamento rápido. A quarta geração da tecnologia implementada pela Qualcomm foi trazida para o modelo de gama média a alta pela Xiaomi. Serão comercializadas duas variantes: uma com 4GB de Ram e 64 de armazenamento e outra de 6GB de RAM e 128 GB de armazenamento interno.

O grande trunfo do modelo é justamente a sua câmera: apesar de termos uma câmera dupla neste modelo, é a principal de 48MP que chama a atenção. Outra lente, desta vez apenas de 5MP, acompanha a parte traseira para o registro de fotografias com fundo desfocado, o que já é padrão nos celulares há algum tempo. A câmera frontal ideal para selfies é de 13 MP, um bom número se comparado aos concorrentes.

O sistema operacional embarcado é o Android 9.0 já atualizado com modificação realizada pela Xiaomi. A interface chamada MIUI chega a sua versão de número 10 já consagrada e querida por diversos usuários de outras fabricantes, já que ela é portada para uma série de outros celulares de outras empresas graças as roms customizadas. Benefício do Android que é um sistema livre.

O sensor de digitais está presente na parte traseira. É um local já utilizado para o desbloqueio via impressão digital. A Xiaomi manteve a saída para fone de ouvido.

Por Leandrinho de Souza





Postar Comentário