Compra da Nextel pela Claro – O Que Muda para os Clientes




Saiba aqui o que pode mudar com a compra da Nextel pela Claro.

A Claro Brasil fechou nesta semana a aquisição das operações da Nextel no país,o que deve afetar as operações da operadora e seus clientes. A compradora, proprietária da Net e pertencente ao grupo que ainda tem a Embratel, deve realizar algumas mudanças na sua nova empresa.

A compra, que ainda deve ser aprovada pela Anatel – Agência Nacional de Telecomunicações – e o CADE – Conselho Administrativo de Defesa Econômica, deve causar algumas mudanças para quem atualmente é cliente da Nextel.


Neste momento, pouco muda para quem confia nos serviços da Nextel. Os atuais planos comercializados devem ser respeitados e os contratos mantidos. A intenção da Claro é absorver estes clientes e ainda não há sinalização da marca ser extinta e virar apenas Claro.

Antenas compartilhadas

Anteriormente a compra, a Nextel é e continua sendo parceira da Vivo. Como é bem sabido, a Nextel não possui antenas em todas as localidades e para isto precisa realizar acordos com alguma operadora que possui abrangência nacional. A Vivo foi a escolhida e o contrato de compartilhamento de antenas funciona há algum tempo.

Recentemente, a Nextel anunciou que renovou o contrato de compartilhamento com a Vivo, que pertence a espanhola Telefônica. Com isto, os clientes que eram atendidos somente na tecnologia 3G agora poderiam usufruir, caso a Vivo oferecesse na localidade, a conexão 4G, que já é realidade no Brasil desde o ano de 2013.


Segundo informações noticiadas há alguns anos, o custo do aluguel destas antenas para a Nextel girava na casa de 1,27 bilhões de reais para utilizar a cobertura da Vivo em todo o território nacional. Na oportunidade, a Nextel oferecia a isenção na cobertura de deslocamento ao cliente, em 2.700 cidades, segundo banner anunciado pela operadora há cinco anos atrás.

Compra bilionária

Para adquirir a Nextel, a Claro desembolsou a cifra de 3,47 bilhões de reais, ou 905 milhões de dólares. Com essa aquisição, a operadora se torna a segunda maior do Brasil, ficando atrás apenas da Vivo.

A grande menina dos olhos verdes para a aquisição é o sinal 4G que a Nextel usa em São Paulo. Na capital paulista, as antenas são próprias, sendo que a operadora utiliza todas as bandas autorizadas pela ANATEL para prover a internet móvel de alta velocidade.

A Claro assume agora as ações da operadora, que possui em sua carteira pouco mais de três milhões de clientes, com crescimento tímido, ficando atrás da Oi, sendo uma das maiores operadoras do Brasil, mesmo com cobertura considerada tímida.

Sobre a NEXTEL

A Nextel chegou ao Brasil na década de 90. Mais precisamente no ano de 1997, possuindo mais de 4 mil funcionários no país. A operadora laranja aproveitou a onda das privatizações da telefonia móvel para desembarcar no país e trazer as suas inovações.

A mais conhecida foi a utilização da tecnologia via rádio nos celulares. Na oportunidade, esse era o grande diferencial em comparação as outras operadoras, que usavam conexões 2G antigamente. Esta inovação deu a Nextel um grande poder de diferenciação se compararmos o mercado existente.

Para a comunicação, a empresa comercializava aparelhos com essa tecnologia. Não tão modernos quanto outros, eles eram eficientes e tornavam uma comunicação diferenciada enquanto a rede 3G engatinhava de forma lenta.

Com o avanço da tecnologia móvel, o rádio no celular precisou ser deixado de lado, forçando a empresa a investir nas redes 3G com antenas próprias ou com contratos de compartilhamento com outras empresas. A Vivo foi a escolhida.

Em algumas cidades, existem antenas próprias da Nextel. O Rio de Janeiro, segundo o site da companhia, foi o pioneiro para a internet de alta velocidade. Era controlada pelo grupo NII Holdings, que tinha a intenção de vender a operadora. A compra foi realizada pela Claro.

Por Leandrinho de Souza





Postar Comentário