Oppo A7n – Ficha Técnica do Smartphone




Celular chega às lojas com processador Helio P35 e bateria de 4.230 mAh.

A fabricante chinesa Oppo, que não é muito conhecida pelos consumidores, apresentou seu novo aparelho para a linha de intermediários. O a7N foi lançado apostando em um chipset da Mediatek. Desta vez, vemos em ação o Helio P35, uma opção interessante neste segmento e que mostrou resultados bastante animadores.

Este é mais um celular que traz o conceito de recorte na parte frontal. Com uma pequena moldura no formato de gota, o local abriga como sempre a lente projetada para selfies. O trabalho em aproveitamento de painel foi bastante competente, já que por aqui se vê poucas bordas e um visual que lembra celulares mais caros, com seu visual que lembra muito uma peça única em vidro.


Mas, vamos ao que interessa: o intermediário aposta no processador da Mediatek como um dos destaques. O Helio P35 parece ser promissor já que em testes de benchmark, o componente superou o seu concorrente, o Snapdragon 625 produzido pela Qualcomm. São oito núcleos podendo chegar até 2,3 GHz em processos que demandam maior processamento. Segundo a Mediatek, a peça pode gerenciar lentes duplas além de suportar o desbloqueio por face, além de melhorias na redução de ruídos e nas fotografias.

A Oppo resolveu equipar o celular com 4GB de RAM. Apesar dos novos modelos receberem 6GB de memória RAM neste ano de 2019, o a7N ainda deve executar com competência quase todas as tarefas de demanda do usuário, sejam elas mais leves como uma troca de mensagens ou algo mais pesado como uma rendenização de vídeo ou a execução de um jogo.

O armazenamento interno é de 64 GB com possibilidade de expansão via cartão de memória para até 256 GB. É importante destacar que o espaço interno é compartilhado com o sistema operacional e seus aplicativos e aquele disponível para uso livre.


A Oppo aproveitou o poder do seu processador para equipar o intermediário com duas câmeras na parte traseira: a lente principal possui 13MP e a secundária modestos 2MP. Apesar do valor baixo da segunda câmera, ela deve ser suficiente para um competente modo retrato ao qual a sua faixa de desempenho e preço traz. Na parte frontal há apenas uma lente, com 16MP ao qual foi projetada para o registro de selfies.

Por falar na parte frontal, o painel de 6,2 polegadas e tecnologia IPS LCD possui resolução ligeiramente acima do HD. O aproveitamento da tela é considerável, mas a baixa resolução pode atrapalhar as coisas. Apesar da tecnologia possibilitar bons ângulos de visão, invariavelmente será inevitável encontrar um ou outro pixel perdido por aí. O ideal será algo próximo ao FULL HD, que não encareceria tanto o preço final e deixaria o modelo um pouco mais atraente.

A parte traseira abriga, além das duas câmera, um sensor de digitais que é competente e desbloqueia o celular rapidamente.

Bateria e sistema operacional

Por aqui, uma bateria de 4.230 mAH foi incluída para garantir uma permanência considerável longe da tomada. E parece que a fabricante aceitou: a tela não consome tanta bateria devido a sua baixa resolução com o processador economizando energia quando precisa, a expectativa é atingir mais de um dia longe de uma tomada. Não há informações se um carregamento rápido está disponível por aqui.

Estamos em 2019 e a Oppo inventa de colocar o Android 8.1 que é de 2017 como sistema operacional. Sua modificação chamada de ColorOS versão 5.2.1 deixa o Android mais otimizado, porém, não é surpreendente, um pingo de decepção: por que não a última versão do Android?

Preço e disponibilidade

O Oppo a7N não teve seu preço revelado e não sabemos ainda quando ele chegará às lojas, mas de todo modo não haverá comercialização oficial no país.

Porém, para quem se interessar, as chances de algum site chinês comercializar o aparelho é grande, já que outros modelos da Oppo já são entregues no país por estes varejistas estrangeiros.

Por Leandrinho de Souza





Postar Comentário