Apple anuncia Fim do iTunes





Serviço será substituído por três novos aplicativos.

Um dos principais produtos da Apple era o iTunes, que contribuiu para revolucionar o consumo de música em todo o mundo no começo do novo milênio. A difusão do conceito de download e compartilhamento de arquivos em mp3 aconteceu, em parte, por causa do uso do iTunes.

No entanto, o iTunes está com os dias contados para a próxima atualização de sistema da Apple e será substituído por 3 aplicativos diferentes, em uma estratégia de descentralização que a Apple pretende realizar no consumo de entretenimento em seus produtos. Continue acompanhando este texto para saber mais informações sobre o fim do iTunes e o que será feito após ele deixar de existir.




A despedida do iTunes representa, de certa forma, o fim de uma era

O iTunes, em conjunto com o aparelho da Apple que era chamado de iPod, facilitava o consumo e a realização da transferência de formatos digitais de arquivos de música. Isso se intensificou ainda mais quando a loja do iTunes foi lançada, no ano de 2003.

No entanto, a Apple acredita que chegou o momento de renovar e criar funcionalidades mais adequadas aos tempos atuais.


A ideia da Apple com essa estratégia é fazer com que a experiência de uso do Mac esteja mais próxima do processo de descentralização que foi realizado em gadgets da companhia, como o iPhone e o iPad. Eles já têm os 3 aplicativos que substituem o iTunes. Além disso, outro plano da empresa é viabilizar o processo de sincronização feita de forma manual entre o smartphone deles, o iPhone, e outros dispositivos que usam o sistema operacional da marca da maçã, o iOS.

Os downloads não são mais populares e o streaming tomou conta da indústria

O tempo em que o download era parte da rotina de um usuário de internet está cada vez mais distante e o iTunes podia ser considerado um estranho dentro de todo esse contexto. Hoje em dia, muitos preferem contar com a disponibilidade de músicas, vídeos e outros formatos de entretenimento mais recentes, como o podcast, disponíveis online em vez de armazená-los em seus dispositivos pessoais.

Pensando nisso, a Apple refez o planejamento de sua distribuição de mídia para o consumo de entretenimento dos usuários dos seus produtos. Sai de cena o iTunes para que 3 novos aplicativos sejam o centro das atenções por parte dos consumidores da Apple e ganhem as luzes dos holofotes.

Cada aplicativo terá a sua funcionalidade específica

No lugar do iTunes, haverá um aplicativo para a realização de streaming de música, semelhante ao que é visto em plataformas como o Spotify e o Dezzer, sem que exista a necessidade de realizar nenhum download para ter acesso às músicas nos aparelhos. A possibilidade até existe, mas não é mais um argumento de marketing central.

Quem gosta de ver filmes e séries por meio da Apple, poderá contar com um aplicativo específico, o Apple TV, para isso. A popularização da Netflix e o surgimento de concorrentes fortes dela no mercado levou a Apple a pensar na sua própria versão para os ávidos fãs da marca e, inclusive, já existem planos para novos conteúdos exclusivos na plataforma, assim como existem os “Netflix Originals” e similares.

Por fim, quem curte ouvir podcasts sobre os mais diversos temas, não estará desamparado. Há um aplicativo exclusivo para esse formato de mídia, que promete agradar muito aos consumidores do formato.

Em resumo, é inevitável afirmar que os tempos são outros e a forma como as pessoas veem o consumo de entretenimento nos dias de hoje também se modificou. Mesmo os ícones da era moderna, como o iTunes, não resistem às mudanças. Fica no ar as novas possibilidades que a Apple pode trazer para inovar a forma como as pessoas aproveitam as funcionalidades.

Ricardo R.





Postar Comentário