Análise do Xiaomi Mi A3 – Review do Smartphone



Confira aqui se vale a pena comprar um Xiaomi Mi A3.

A empresa de smartphones e produtos eletrônicos Xiaomi vem crescendo cada vez mais no Brasil. Apresentada atuamente como concorrente da maçã, a empresa chinesa tem apresentado celulares cada vez mais eficientes, avançados e com um custo benefício considerável. Seu modelo mais famoso no país, Mi A2, fez tanto sucesso, não só no Brasil, mas ao redor do mundo, que a empresa decidiu lançar uma versão mais robusta e eficaz, o Xiaomi Mi A3. O novo modelo apresenta, de cara, uma da suas alterações mais importantes, o design, e chama a atenção. Mas será que essa novidade vale a pena? Confira agora, uma análise do aparelho.

Design e acabamento do aparelho

Como já comentado, o A3 chama a atenção pelo design e o acabamento. O aparelho conta com acabamento de vidro atrás e tela Gorilla Glass 5, versão mais resistente do vidro para smartphones. Controverso ao acabamento de vidro na parte de trás e da frente, a empresa decidiu colocar pástico nas laterais, onde talvez um revestimento de metal cairia bem.



O design do aparelho o torna bastante confortável para uso. O A3 é um aparelho compacto e ergonômico, e isso o torna uma boa opção para pessoas que possuem a mão pequena, especialmente.

A bateria

O tamanho da bateria aumentou significativamente em relação ao modelo anterior. O que antes possuía 3.000 mAh, agora conta com incríveis 4.030 mAh. Essa preocupação com a bateria é um ponto importante para quem usa o celular o dia todo, pois garante uma duração maior da bateria.



Em testes, a bateria se mostrou eficiente, ficando cerca de 48 horas fora da tomada. Porém, trata-se de um uso moderado, não utilizando o smartphone para uso constante, o que implica em jogos e aplicativos que exigem um pouco mais da bateria. Ainda assim, trata-se de um bom desempenho para os usuários constantes de celular. O que acaba pro tirar um pouco do gosto é a bateria inferior a 18W que a empresa entrega junto ao smartphone, uma vez que o aparelho aceita essa configuração.

Tela e Sistemas

Um dos pontos fracos do celular, para quem dá relevância a isso, é a tela com qualidade HD+, inferior ao modelo anterior. Em uso, é possível encontrar pixels com facilidade por causa da qualidade. Nesse sentido, principalmente em comparação com os outros modelos da marca, a qualidade é extremamente inferior, e se faz falta de uma tela mais eficiente, com qualidade como Full HD+.

O sistema, por outro lado, pode compensar a tela para alguns usuários. Como em todos os casos da empresa chinesa, o smartphone apresenta um sistema Android limpo e versátil. Com sistema Android One, baseado na versão 9.0 do Android, o aparelho é rápido para receber atualizações e processamentos mais pesados. O celular ainda conta com um leitor de digitais imbutido na tela, e uma resposta respeitavelmente eficiente.

Conectividade e Desempenho

No que diz respeito à conectividade, o Mi A3 trabalha bem para o preço. Uma desvantagem a se levar em consideração é a ausência de NFC, uma funcionalidade presente em modelos concorrentes a esse.

No que diz respeito ao desempenho, o smartphone conta com um processador Snapdragon 665, com 8 núcleos e rodando até 2 Ghz. Essa configuração, infelizmente, é inferior à versão passada, que suportava várias funções em segundo plano e jogos com fluidez máxima. Contudo, esse é um ponto que pode passar despercebido por muitos durante o uso do smartphone.

O desempenho e qualidade das câmeras também aumentou significativamente em relação à versão anterior. O A3 possui capacidade pra filmar vídeos em 4K a 30 FPS ou Full HD+ em até 120 FPS. A Câmera frontal também apresentou uma grande evolução, agora a contar com 32MP.

Mas no final das contas, vale a pena?

Sim, vale a pena. Para um público que não se preocupa muito com desemenho ou processamento. O Smartphone chinês apresenta vários pontos positivos, como bateria e câmera, mas para quem usa celulares para jogos ou programas que exigem um pouco mais do aparelho, essa não é uma boa opção. Por outro lado, o celular se mostra eficiente quando o caso é de uso para o dia a dia, de forma moderada.

DAVI GABRIEL SOARES



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *