Motorola Edge 30 Pro – Análise do Smartphone


Confira aqui as qualidades e defeitos do Motorola Edge 30 Pro.

O Motorola Edge 30 Pro atualmente é tido como sendo o principal modelo da marca no Brasil, além de competir diretamente com outros aparelhos como Galaxy S22 e iPhone 13 pelos seus atributos. Isso, pois este modelo da Motorola ao que tudo indica com uma força suficiente para conseguir competir com estes modelos, devido aos seus vários atributos e pontos positivos. Há algum tempo a marca vem tentando alcançar suas competidoras diretas, neste caso, a linha Edge tem sido usada desde 2020 para que a Motorola consiga atingir este patamar desejado, usando de configurações poderosas como Snapdragon 865 e suporte para 5G para chegar neste ponto.


Agora, com o Edge 30 Pro a marca resolveu usar de todos seus recursos possíveis para trazer o melhor para este aparelho buscando competir diretamente com seus rivais. A começar pelo design do aparelho, que conta com alguns detalhes importantes. Este novo modelo conta com alguns traços de seus antecessores, como o Edge 20 Pro e Edge+. Ele chega com um painel frontal reto e sua tampa traseira conta com cantos mais arredondados. Na frente, o modelo conta com vidro, mostrando que a marca de fato investiu em características comuns de aparelhos que são considerados premium.


Entretanto, indo contra o que as outras marcas que são consideradas suas rivais principalmente em se tratando desta linha, o aparelho não chega ao mercado com certificação IP68, que o classifica como sendo resistente à água, sendo somente resistente a alguns respingos e poeira. Esta ausência não seria sentida em outros aparelhos intermediários, por exemplo, mas em se tratando de um premium que visa brigar diretamente com os modelos da Samsung e Apple, isso se faz necessário e pode ser considerado como sendo um ponto negativo para o modelo.


O visual do modelo mantém a maioria das características de seus antecessores, como o Edge 20 Pro. A tampa conta com uma tonalidade particular da marca, em furta-cor, que também era vista no modelo anterior. Para alguns, esta pode não ser a melhor escolha de cor disponível do mercado atual e um motivo para que o aparelho acabe não sendo escolhido, visto que só se encontra atualmente nesta tonalidade para venda.


São apenas três botões neste modelo, dois para o volume e um para ligar e desligar, e todos estão localizados na lateral do modelo. O acesso para o assistente Google foi retirado neste modelo, que agora só pode ser ativado por voz, não mais através do botão que era dedicado a este. O leitor de digital fica junto ao botão de energia, logo abaixo dos controladores de energia, algo que tem se mostrado bastante comum em alguns modelos distintos do mercado atual.

A tela do modelo Edge 30 Pro não foi muito modificada ao ser comparada com seu antecessor, o 20 Pro. Assim, chega como um painel OLED com 6,7 polegadas e que conta com um suporte positivo para um bilhão de cores e conta também com padrão HDR10+. Neste caso, a configuração é muito positiva para as pessoas que buscam um bom aparelho para ver vídeos e até mesmo para jogar, pois conta com um suporte favorável neste sentido.

O desempenho do modelo fica a cargo do seu chipset Snapdragon, que se mostra poderoso. Além disso, o aparelho chega ao mercado com 12 GB de ram e 256 GB de armazenamento. O destaque fica para o fato de que até os jogos mais pesados conseguem ser rodados de forma plena neste modelo, como Geshin Impact, por exemplo. Mas um ponto a ser destacados é que os modelos que contam com este processador em geral têm apresentado superaquecimento, principalmente ao rodar aplicativos e jogos mais pesados.

A câmera do Edge 30 Pro é um dos pontos mais positivos do aparelho, ela conta com 50 MP ultrawide/macro, e para as selfies o modelo conta com um sensor incrível de 60MP. Entretanto, a terceira câmera conta com apenas 2 MP, voltada para profundidade. O que pode causar um pouco de insatisfação nos mais exigentes. Alguns modos, como o retrato, apresentaram falhas nos testes que foram feitos. Já no quesito vídeos, o aparelho grava em 4k e 8k com uma qualidade incrível, mas seguindo os mesmos detalhes da câmera de fotos, com algumas baixas.

Por fim, a bateria do modelo de 4.800 mAh se mostrou potente, e conseguiu desempenhar um bom papel ao reproduzir três horas de vídeo em streaming com brilho 50% consumindo cerca de 22% apenas. De modo geral, o modelo conta com alguns bons avanços diante dos seus antecessores, mas outros retrocessos que precisam ser avaliados no momento da compra. Portanto, os usuários que estão em busca de algumas características específicas precisam avaliar de forma aproximada se estas são as baixas ou não notadas no aparelho agora.


Nayara Silva Guimarães


Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.