Celular para pix seguro – bons modelos baratos para manter na gaveta


Cresce demanda de \”celular do Pix\” e Xiaomi já pensa em lançar um aparelho específico para atender mercado

Tem crescido a procura de celulares de entrada, com funções básicas, para serem usados somente em transações bancárias. A maioria dos clientes tem se sentido inseguros em andar com o aparelho durante o dia, com todas as suas contas bancárias instaladas no mesmo.


Com o avanço da tecnologia nos últimos anos, o brasileiro teve uma série de comodidades jamais vistas anteriormente. O próprio acesso à internet em alta velocidade e algo relativamente novo para nós, ainda estamos "caminhando" neste universo de soluções que a tecnologia nos beneficia, e poderá beneficiar ainda mais.


Uma das facilidades mais usadas pelas pessoas em todo mundo é o Smartphone, ele hoje é considerado como uma parte da vida de seus usuários. A maioria das pessoas já não vivem sem o aparelho, ele se tornou vital. O celular inclusive contém todas as informações pessoais, de contatos, agendas, compromissos, e informações bancárias.


Proteção

Existe uma "nova onda" de pessoas que estão pretendendo adquirir um celular mais básico, de entrada, somente para ter os aplicativos de banco salvo. A ideia basicamente é ter um celular de gaveta, protegido em casa, com o intuito de não se locomover durante todo o dia com um aparelho, constando todas as suas informações pessoais e sigilosas.


O motivo que fez milhares de pessoas procurarem um "celular do pix" é a insegurança das ruas. Várias pessoas são assaltadas diariamente, além dos furtos e roubos, o usuário também fica desprotegido se perder o seu celular e não tiver uma "boa alma" que procure o dono para devolver.

Xiaomi promete celular intermediário para atender à demanda dos usuários de "celular do pix"

A potência chinesa Xiaomi, já enxergou um grande potencial de mercado, nessa nova necessidade que tem surgido. Vários clientes têm procurado a empresa, para adquirir um celular de entrada, cujas funcionalidades sejam mais básicas, praticamente para ter apenas os aplicativos do banco instalados.

Os clientes alegam que ter este dispositivo secundário os deixariam mais tranquilos, em saber que as informações bancárias estão completamente protegidas. Segundo Luciano Barbosa, o gerente geral da empresa, aqui no Brasil, alega que já está sendo analisado uma opção de celular de entrada com especificações técnicas intermediárias com o preço mais em conta para o usuário final.

Porém, o representante geral da empresa alega ainda que os usuários Xiaomi já contam com medidas de segurança aplicadas aos aparelhos. Nas próprias configurações do MIUI, é possível colocar senhas para entrar especificamente nos aplicativos do banco, além de biometria e reconhecimento facial, o que dispensaria a necessidade de adquirir um aparelho para este fim. O gerente de mercado ainda informa que é "injusto" que os clientes tenham que ter um custo adicional para ter um aparelho engavetado apenas com essa finalidade.

Infelizmente, a maioria dos clientes ainda fazem questão do segundo aparelho, pela "ousadia" que criminosos apresentam a cada dia. Existem assaltantes que no momento da ação, solicitam ao cliente a senha do aparelho, para justamente conseguirem acessar todos os aplicativos e "limparem" a conta do cliente.

A instabilidade também ocorre, porque recentemente alguns aplicativos como Whatsapp também dão a possibilidade de enviar pagamentos. O acesso aos dados bancários e cartão do cliente, muitas vezes não tem relação apenas com aplicativos de bancos.

Fica agora a dúvida de ter ou não, um aparelho secundário apenas para esta finalidade.
Muitos clientes já demonstram interesse. Pois além da segurança de ter os aplicativos do banco em outro aparelho, diminui o uso da memória dos celulares.

Apesar de várias opções de aparelhos com memórias estendidas, a grande quantidade de aplicativos instalados no aparelho faz com que seu desempenho fique comprometido. Com essa medida, o cliente acaba ganhando, neste sentido.

Adição do editor: se não me sinto seguro, que aparelho devo deixar na gaveta como celular do Pix?

Bom, vamos agora falar de aparelhos. Na verdade, não há um modelo específico para esta função, bastando que o smartphone tenha funções básicas, como possibilidade de instalar aplicativos e tenha câmeras. Um leitor de impressão digital ajuda, para não ficar com necessidade de ficar lembrando de senha e para aumentar a segurança dentro de casa.

Neste ponto, um Multilaser F Pro P911 16GB, de pouco mais de R$ 400,00 durante a escrita deste artigo, viria bem.

O Fly F31 32GB 13MP com Sensor SOS também teria tais requisitos, por R$ 474,90, enquanto escrevemos.

Um pouco mais caro, o Motorola E5 Play XT1920 também tem tais funções, por R$ 664,90.

Uma dica extra: em muitos casos, você pode precisar enviar comprovantes das transações Pix que realizou, mas não será possível utilizar Whatsapp em aparelhos diferentes. Para contornar isso, você pode instalar o Telegram, com a mesma conta em seus dois aparelhos, criar uma conversa sozinho e enviar o comprovante por esta conta. Então, em seu smartphone principal, basta encaminhar o comprovante para o aplicativo do Whatsapp.

E você, adotaria a ideia do "celular do pix"? Conte abaixo nos comentários, qual a sua opinião sobre o assunto.

Texto de Adriana Silva Souza.


Multilaser tem o modelo mais barato, com leitor de impressão digital (biométrico), para funcionar como celular do Pix


Próximo Post

Não há mais posts

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.